imprimir

HÉBERT, Affonso
Arquiteto, engenheiro e professor.
Alphonse Dinis Hébert (1852: Porto Alegre, RS – 1925: Nice, França).

Estudou na Alemanha e na França. Segundo o historiador e arquiteto Gunter Weimer, é mais provável que seu aprendizado em arquitetura e engenharia tenha sido empírico.
1876 – Foi nomeado desenhista da Repartição de Obras Públicas Provinciais do Rio Grande do Sul e, nessa condição, colaborou em projetos desenvolvidos pelo engenheiro Álvaro Nunes Pereira.
1890 – Assumiu o cargo de ajudante da Diretoria de Obras Públicas, órgão subordinado à Secretaria de Obras Públicas do Rio Grande do Sul, criada após o advento do regime republicano.
1891-94 – Atuou como subdiretor e diretor interino da Diretoria de Obras Públicas em projetos de reforma de prédios, construção de pontes e estradas e na instalação do primeiro observatório meteorológico do Rio Grande do Sul.
1895 – Assumiu a Diretoria de Obras Públicas, Terras e Colonização (DOPTC) do Rio Grande do Sul e, cumulativamente, a chefia da seção de Obras de Públicas.
1896 – Transferiu o comando da DOPTC para o engenheiro Francisco Ávila da Silveira, permanecendo à frente da seção de Obras Públicas.
1896-97 – Elaborou os projetos da nova sede do governo gaúcho e de penitenciária estadual, ambos não executados.
1897-1909 – Ocupou o cargo de diretor do Observatório Astronômico do Rio Grande do Sul.
1902-03 – Foi professor da Escola de Engenharia de Porto Alegre, ministrando aulas no curso de estradas.
1910-12 – Executou o projeto do Arquivo Público Estadual em Porto Alegre, concebido em colaboração com o arquiteto francês Maurice Gras, utilizando estratégias de alta tecnologia para a época e inéditas na cidade, como exaustores elétricos para a ventilação adequada de todos os compartimentos.
1911 – Projetou andaimes e fundações para monumento de Julio de Castilhos, obra do pintor e escultor Décio Villares, localizada no centro de Porto Alegre.
1911-16 – Projetou a Biblioteca Pública do Estado, em Porto Alegre, e supervisionou as obras da primeira etapa do seu edifício com dois pavimentos e fachada em estilo eclético.
1912 – Projetou as novas sedes (não construídas) da Secretaria Estadual de Fazenda e da Assembleia dos Representantes do Rio Grande do Sul.
1913 – Concluiu o projeto do colégio Fernando Gomes, depois denominado Colégio Ernesto Dornelles, em Porto Alegre.
1919-20 – Supervisionou as obras de ampliação da Biblioteca Pública do Estado. Com fachada em estilo neoclássico contornada por bustos do calendário positivista, a biblioteca seria reinaugurada nas comemorações do centenário da independência do Brasil.
1922 – Aposentou-se da Secretaria de Obras Públicas, por motivo de saúde, viajando em seguida para a França.

Foi membro da Comissão Central do Instituto de Belas-Artes de Porto Alegre.


Fontes
DOBERSTEIN, Arnoldo Walter. Estatuários, catolicismo e gauchismo. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. (Coleção História: 47).
DIEFENBACH, Samantha Sonza. Affonso Hebert: ecletismo republicano no Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre, UFRGS, 2008.
< http://www.iphae.rs.gov.br/Main.php?do=BensTombadosDetalhesAc&item=15904>

 

LOS