imprimir

BOLONHA, Francisco
Arquiteto e urbanista.
Francisco de Paula Lemos Bolonha (1923: Belém, PA – 2006: Rio de Janeiro, RJ).

“Com o passar do tempo, Bolonha encaminhou-se para uma extrema racionalização do fazer arquitetônico, traduzido pela acentuação de sua preocupação com a verdade construtiva e pelo respeito às questões econômicas, funcionais e programáticas. Se não alcançou a perfeição, deixou claro que esta busca deu à sua obra caráter singular de atividade diária e muita dedicação.” (Márcia Poppe in: <http://www.docomomo.org.br/portaretratos%20Bolonha.htm>).

1940-45 – Estudou arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes (ENBA), no Rio de Janeiro. Integrou a primeira turma de alunos graduados pela Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro), criada em dezembro de 1945 e sucessora do curso de arquitetura da ENBA. Ainda estudante, colaborou com Jorge Machado Moreira no projeto do Hospital das Clínicas de Porto Alegre e com Affonso Reidy no projeto da sede da Viação Férrea do Rio Grande do Sul.
1946 – Colaborou com Affonso Reidy no projeto do Conjunto Habitacional Prefeito Mendes de Morais, conhecido como Conjunto do Pedregulho, no bairro carioca de São Cristóvão. Fundou seu próprio escritório e realizou o primeiro de uma série de trabalhos na cidade mineira de Cataguases: o projeto de paisagismo da residência de José Pacheco de Medeiros.
1946-47 – A convite de Roberto Burle Marx, desenvolveu o projeto de um centro social e desportivo em Araxá (MG) com extensa área de lazer, quadras e salões de festas (não executados) e uma fonte de água sulfurosa. Primeira intervenção de reconhecimento internacional do arquiteto, a Fonte Andrade Júnior abrigou duas áreas de bebedouros em lados opostos, área de descanso e uma vitrine com réplicas de fósseis da fauna pré-histórica encontradas no local.
1947 – Projetou o Conjunto Residencial de Paquetá para moradia dos funcionários da prefeitura do Rio de Janeiro que trabalhavam no serviço de limpeza urbana da ilha de Paquetá.
1948 – Juntamente com Giuseppina Pirro, Lygia Fernandes e Israel de Barros Correia, formou a equipe que obteve o terceiro lugar no concurso público para a sede do Jóquei Clube do Rio de Janeiro. Seu desenho ilustrou a capa da revista francesa L´Architecture d’Aujourd´Hui.
1949 – Projetou a casa de veraneio do embaixador Hildebrando Accioly, em Petrópolis, RJ, com afresco de Emeric Marcier (medalha de prata no IV Salão de Arte Moderna, realizado em 1954) e o Mosteiro de Nossa Senhora das Graças, em Belo Horizonte, MG. Acompanharia a execução da obra do mosteiro ao longo de quase toda sua carreira.
1951 – Projetou o Hospital Maternidade de Cataguases.
1952 – Fez os projetos do Edifício Comercial Diogo de Brito, no Rio de Janeiro, e do Jardim da Infância Ernestina Pessoa, em Vitória, ES.
1954 – Projetou a casa de Nilo Pacheco de Medeiros, em Muriaé, MG. A pedido das irmãs Carmelitas da Divina Providência, assumiu a incumbência de projetar o Orfanato Dom Silvério, em Cataguases.
1954-68 – Como funcionário das empresas Bloch, prestou consultoria para aquisição do acervo de obras de arte da empresa e foi responsável pelo projeto da Escola Joseph Bloch, em Parada de Lucas, no Rio de Janeiro.
1954-55– Projetou o Conjunto Residencial de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, construído parcialmente pelo Departamento de Habitação Popular do Distrito Federal, e a casa de Nelson Collart, em Itaipava, RJ.
1956 – Realizou o projeto do Monumento José Inácio Peixoto, em Cataguases, com a colaboração do pintor Cândido Portinari e do escultor Bruno Giorgi.
1958 – Projetou a concha acústica da Praça Rui Barbosa, em Cataguases, e a sede do Clube de Juiz de Fora (MG), primeiro edifício moderno da cidade.
1960-64 – Dirigiu a Divisão de Construções e Equipamentos Escolares do Estado da Guanabara, desenvolvendo cinco projetos padrão de escola e acompanhando a construção de mais de 242 unidades, entre as quais as escolas Roma, em Copacabana, André Maurois, no Leblon, Augusto Magne, em Jacarepaguá, e Camilo Castelo Branco, no Jardim Botânico.
1963-65 – Trabalhou como consultor da Companhia Estadual de Telefones da Guanabara (Cetel).
1964 – Projetou a estação telefônica de Paquetá.
1966-67 - Trabalhou na Divisão de Programas de Projetos do Banco Nacional de Habitação (BNH).
1966-68 – Foi conselheiro do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
1966-70 – Foi curador da Fundação Raymundo Castro Maya, no Rio de Janeiro.
1967-70 – Projetou o edifício-sede da Cetel, premiado no 18ª Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
1969 – Participou do júri para a 9º Bienal de Arquitetura de São Paulo.
1975 – Fez o projeto do Colégio Andrews, no bairro carioca do Humaitá.
1978 – Foi membro do júri de seleção do 1º Salão Nacional de Artes Plásticas da Fundação Nacional de Artes (Funarte).
1979 – Projetou o Centro de Treinamento para as Telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebrás), em Campinas (SP).
1984 - Desenvolveu o projeto da Casa do Alto, alojamento dos monges beneditinos no Alto da Boa Vista, Rio de Janeiro.
1987 – Aposentou-se na Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.


Doou gravuras, correspondência particular, originais de projetos e sua biblioteca de arquitetura ao Instituto Francisca de Souza Peixoto. Ao Núcleo de Pesquisa e Documentação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), doou desenhos originais de Roberto Burle Marx, Affonso Reidy, Aldary Toledo, Jorge Machado Moreira, além de desenhos de projetos e fotografias.


Fontes
CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: INL/MEC, 1973, v.1. p. 247.
CAVALCANTI, Lauro. Quando o Brasil era moderno: guia de arquitetura 1928-1960. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2001
< http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=
artistas_biografia&cd_verbete=5426&lst_palavras=&cd_idioma=28555&cd_item=1>
MACEDO, Oigres Leci Cordeiro de. Francisco Bolonha, modernidade insigne. Disponível em:
<http://www.dau.uem.br/professores/macedo/bolonha_4docomomo.html>
< http://www.docomomo.org.br/portaretratos%20Bolonha.htm>
< http://www.docomomo.org.br/seminario%205%20pdfs/108R.pdf>
< http://www.vitruvius.com.br/arquitextos/arq080/arq080_01.asp>

MCS