ALMEIDA REIS
Escultor, entalhador, desenhista e professor.
Cândido Caetano de Almeida Reis (1838: Rio de Janeiro – 1889: Idem).


Era filho do santeiro Caetano Manuel dos Reis.
1852 - Ingressou na Academia Imperial de Belas Artes (AIBA), onde estudou desenho.
1856 - Ainda na AIBA, iniciou estudos de escultura com Francisco Manuel Chaves Pinheiro.
1860 - Colaborou com Chaves Pinheiro na execução de painéis para a Igreja de São Francisco de Paula, no Rio de Janeiro.
1865 - Conquistou prêmio de viagem ao exterior, concedido pela AIBA.
1866 - Transferiu-se para Paris e estudou com Louis Rochet, num período particularmente rico da estatuária francesa.
1867 - Retornou ao Brasil e, junto com o pintor Antônio Araújo de Souza Lobo e o arquiteto Rodrigues Moreira, fundou a academia Acropólio, instituição que desempenhou importante papel na modernização do ensino da arte no país, contrapondo-se aos padrões neoclássicos predominantes na AIBA.
1876 - Sua escultura O crime integrou a Exposição Internacional de Filadélfia (EUA).
1885 - Realizou O gênio de Franklin, primeira escultura fundida em bronze no Rio de Janeiro.
São também de sua autoria os bronzes O Paraíba do Sul (1867), Alma penada (1885) e Dante ao voltar do exílio (1889), que integram o acervo do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), bem como os bustos de Pereira Passos (1880), Camões (1880) e Danton (1885).
1888 - O pintor Pedro Américo representou-o em Retrato do escultor Cândido Almeida Reis, pertencente ao acervo do MNBA.


Exposições Coletivas:
1862/65/67/75/76/79/84 - 19ª, 23ª, 24ª, 25ª, 26ª e 27ª Exposição Geral de Belas Artes, Academia Imperial de Belas Artes, Rio de Janeiro, RJ.


Fontes
PONTUAL, Roberto. Dicionário das Artes Plásticas no Brasil, Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1969.
<http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=
artistas_biografia&cd_verbete=1013&lst_palavras=&cd_idioma=28555&cd_item=1>

AFC